Notícias › 04/04/2018

Reservatórios do Seridó podem garantir segurança hídrica até 2070

Barragem Oiticica, em fase de construção, será mais um reservatório do Seridó (Foto cedida)

Barragem Oiticica, em fase de construção, será mais um reservatório do Seridó (Foto cedida)

O Rio Grande do Norte tem como fazer um planejamento para garantir segurança hídrica para a Região do Seridó até 2070, a partir de estudos de viabilidade técnica e econômica já existentes. Esses “Estudos de Concepção e de Viabilidade Técnica, Econômico-Financeira e Ambiental e Elaboração do Projeto Básico de Sistemas Adutores da Região do Seridó” foram feitos pela Engecorps, que tem como um dos responsáveis o engenheiro Rômulo Macedo, e apresentados na 39ª Reunião Ordinária do Conselho Estadual de Recursos Hídricos do RN – CONERH, na sede da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMARH), em Natal, realizada no dia 27 de março deste ano.

O Presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica Piancó-Piranhas-Açu (CBH-PPA), Paulo Varella, e o segundo Secretário, José Procópio Lucena, participaram dessa reunião. O objetivo do Projeto de Adutoras para o Seridó é garantir o suprimento de água para consumo humano e atividades produtivas na região. “O estudo tem caráter bem amplo, pois avalia toda a disponibilidade hídrica já existente, a população de agora até 2070 e vendo quais as necessidades de importar água de outras regiões para a região do Seridó. Portanto, o objetivo é buscar uma garantia hídrica para essa região. É complexo e profundo que terá um resultado bastante positivo para o Seridó”, disse Paulo Varella, presidente do CBH-PPA.

A boa notícia é dada pelo engenheiro Rômulo Macedo, da Engecorps: “Os reservatórios do Seridó, segundo a nossa pesquisa, têm capacidade de ofertar água para o consumo humano até 2070. Em breve vamos apresentar um estudo de alternativas de engenharia hídrica para resolver o problema hídrico do Seridó e, em seguida, vamos escolher as melhores e definir as questões de viabilidade econômica. Depois desses procedimentos, o estudo será entregue para a SEMARH, que vai em buscar de recursos para viabilizar os recursos para a construção das adutoras”, explicou.

Fonte: www.cbhpiancopiranhasacu.org.br

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.