Notícias › 09/12/2015

Reservas internacionais podem ajudar país a reduzir a dívida bruta

Economista Amir Khair defende venda de US$ 200 bilhões das reservas para aliviar conta de juros. Financista Fábio França acredita que é preciso antes experimentar redução dos juros e o aumento do crédito

Por Helder Lima, da RBA

Saldos positivos na balança comercial ajudam na formação de reservas internacionais (www.redebrasilatual.com.br)

Saldos positivos na balança comercial ajudam na formação de reservas internacionais (www.redebrasilatual.com.br)

São Paulo – Economistas e políticos do campo progressista começam a discutir com mais intensidade propostas alternativas para reverter a tendência de recessão e colocar o Brasil de volta na rota de crescimento. Uma dessas propostas é lançar mão das reservas internacionais do país para retomar os investimentos, que podem promover o emprego e a renda.

Segundo dados do Banco Central, em outubro essas reservas somaram US$ 361,23 bilhões, um nível que coloca o Brasil entre os dez maiores poupadores do mundo. Esses recursos são responsáveis por estabilizar a emissão de moeda e garantir que o país tenha fôlego para enfrentar turbulências econômicas.

São recursos que proporcionam à autoridade monetária força para interferir no mercado de câmbio e também mostram para as agências de classificação de risco as garantias que o país pode dar ao atrair investimentos. Um fato do qual ninguém discorda é que, fosse a situação das reservas de penúria, a crise econômica estaria ainda mais intensa.

“As reservas internacionais são uma espécie de poupança, formada basicamente da diferença de saída de dinheiro brasileiro para o exterior, versus a entrada de dinheiro não brasileiro. Por exemplo, neste mês estamos fechando com saldo positivo a balança comercial, o que ajuda na formação de reservas internacionais”, afirma o professor e especialista em sistema financeiro nacional Fábio França. Segundo ele, não é todo o saldo que forma a conta de reservas internacionais, mas é parte do que o país deixa de gastar, adquirindo lastro em moeda estrangeira para compor essa conta. “Esse dinheiro, parte dele pelo menos, pode ser empenhado como garantia de operações, e por isso estão se discutindo alternativas com esses recursos”.

Fonte: www.redebrasilatual.com.br

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.