Artigos › 13/12/2016

O que está em disputa no Brasil?

jose-procopio-jose-bezerra-115-copiaO que está em disputa no Brasil são a expansão do domínio do capital e o aprofundamento do Estado mínimo. São formas peculiares de acumulação capitalista. Na prática, a retomada e a implantação do neoliberalismo, que não mede consequências para precarização e a flexibilização das relações de trabalho, retirada de direitos, privatização do Estado e das empresas públicas e sucateamento dos serviços públicos. A PEC 55 e a reforma previdenciária são partes desta estratégia política da elite brasileira. A República apodreceu. Suas instituições estão desmoralizadas pelas atitudes e negociatas de interesses privados, usando a estrutura da máquina pública. A corrupção é um instrumento a serviço da acumulação capitalista baseada na pilhagem do Estado. A situação é de decomposição total do governo Temer. Um governo a serviço dos ricos e mergulhado em graves denúncias de corrupção. Um exemplo de inaudita falta de caráter e sem condições éticas e políticas de se manter na direção do País. No meu entendimento, a questão central não é apenas a corrupção. Ela precisa ser derrotada e eliminada. Porém, só isso não basta. É preciso eliminar todas as formas de opressão e exploração do sistema de produção e consumo capitalista. Os meios de trabalho não devem mais ser o monopólio de uma classe, mas tornar-se bem comum. Precisamos, enquanto classe trabalhadora, continuar a longa e permanente tarefa de luta em defesa da justiça, da igualdade, da liberdade e da felicidade. Nossos objetivos, como classe trabalhadora, só podem ser alcançados através de uma nova ordem social. Se a esquerda brasileira deseja honestamente construir esse caminho, precisa imediatamente romper com a disputa fratricida entre si, que em nada tem contribuído para fazer frente aos enormes desafios que estão colocados para enfrentar esse modelo que oprime, explora e pratica barbárie contra o povo pobre e trabalhador.

Agrônomo José Procópio Lucena
Militante Ecossocialista

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.