Notícias › 06/11/2015

Novo estudo confirma que metas deixam o mundo no rumo dos 3°C

GIOVANA GIRARDI – O ESTADO DE S. PAULO
12 gigatoneladas de CO2- equivalente serão emitidas ainda a mais do que necessário para manter a temperatura abaixo dos 2°C
Centro Britânico Antártico/Reuters (www.estadao.com.br)

Centro Britânico Antártico/Reuters (www.estadao.com.br)

Com um nível de emissões de gases de efeito estufa da ordem de 52,7 gigatoneladas de gases de efeito estufa em 2014, o mundo teria de reduzi-las a pelo menos 42 gigatoneladas nos próximos 15 anos para impedir que a temperatura média do planeta suba a mais de 2°C até o final do século. Mas as propostas que os países apresentaram de redução de suas emissões de gases até 2030, mesmo se forem completamente cumpridas, farão com que o planeta esteja emitindo ainda mais naquele ano – algo em torno de 54 gigatoneladas de CO2-equivalente. Esse “gap” (lacuna) de 12 gigatoneladas pode fazer a temperatura ficar entre um pouco menos de 3°C a até 3,5°C até 2100.

Essas suas as principais conclusões de um novo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) que avalia as chamadas INDCs – um pacote de medidas que a maioria dos países do mundo apresentou dizendo quanto conseguiria fazer, a partir de 2020 até 2030, para reduzir suas emissões de gases de efeito estufa. São contribuições nacionais para o acordo que deve ser fechado no final do ano na Conferência do Clima de Paris.

A nova análise foi feita pelo Pnuma (programa da ONU para o Meio Ambiente). Já há alguns anos eles lançam, às vésperas das conferências do clima, o chamadoGap Report, que compara quanto conjuntamente os países estão fazendo para combater o aquecimento global com quanto eles deveriam fazer para conter o aumento da temperatura a até 2°C – limite considerado mais seguro pela ciência.

O estudo analisou 119 INDCs, de 145 países (a da União Europeia é única para todos os países do bloco), que foram apresentadas à ONU até 1º de outubro. Sem elas, diz o estudo, as emissões seriam entre 4 e 6 gigatoneladas mais altas, se for levada em conta somente as políticas atuais. Ou seja, elas apresentam alguma redução, mas ainda muito distante do que seria considerado o ideal.

Matéria completa: http://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias/geral,novo-estudo-confirma-que-metas-deixam-o-mundo-no-rumo-dos-3c,10000001303

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.