Notícias › 30/12/2015

“Isso é um desrespeito aos funcionários públicos e assédio moral”

José Procópio de Lucena (Foto: José Bezerra)

José Procópio de Lucena (Foto: José Bezerra)

Neste mês de dezembro, muitos gestores municipais foram à imprensa anunciar a escassez de recursos e as enormes dificuldades para cumprir um preceito básico da lei trabalhista, que é o pagamento dos salários e 13º dos funcionários. Dias depois, anunciam, quase com euforia, mas sem explicar de onde saíram os recursos, que conseguirão fazer o pagamento. O fato soa um tanto estranho para muitas pessoas. Mas, para agrônomo e militante político José Procópio de Lucena, é um desrespeito, assédio moral, terrorismo e demagogia.

“Somos um povo trabalhador e honrado, mas, por opção ou não, governado por políticos de comportamento demagógico e oportunista. Neste final de ano tenho assistido vários gestores públicos irem a imprensa anunciar que não existe dinheiro para pagarem o 13º e o salário de dezembro dos funcionários públicos e, logo em seguida, emitem nota na mesma imprensa dizendo que com muita emoção, empenho, alegria e sofrimento determinou o pagamento para tal dia. Isso é um desrespeito aos funcionários públicos e assédio moral. Criam um clima de terrorismo, ameaça, sofrimento e medo no funcionalismo e em seguida se apresenta como um salvador da pátria, um detentor de milagres, produzindo psicologicamente um sentimento de favor e negação de dever”, afirma Procópio.

Para ele, esse comportamento impregnou-se no tecido e na intimidade de muitos gestores públicos do Estado e região Seridó, transformando-se em uma conduta administrativa, que degrada a própria dignidade da política.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.