Notícias › 12/03/2018

Fórum Social Mundial começa nesta terça em Salvador

Com mais de 1.300 atividades e um único slogan – resistência -, evento pretende reunir em torno de 60 mil pessoas durante cinco dias

Desde que foi criado, em 2001, essa é a primeira vez que o Fórum é realizado numa cidade do Nordeste (Reprodução FSM 2018)

Desde que foi criado, em 2001, essa é a primeira vez que o Fórum é realizado numa cidade do Nordeste (Reprodução FSM 2018)

Com o tema central “Povos, Territórios e Movimentos em Resistência”, e o slogan “Resistir é criar, resistir é transformar”, o Fórum Social Mundial (FSM) deve ser um evento de resistência contra os retrocessos e os ataques à democracia no Brasil. Criado em 2001, em Porto Alegre, o FSM 2018 será realizado entre terça (13) e sábado (17), em Salvador, Bahia. Com programação vasta e diversificada, o evento terá como território principal o Campus de Ondina, da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Também serão utilizados outros locais da capital baiana, como o Parque do Abaeté, em Itapuã, e o Parque São Bartolomeu, no Subúrbio Ferroviário da cidade. Segundo os organizadores, são esperadas cerca de 60 mil pessoas, de 120 países, reunidas para debater e definir novas alternativas e estratégias de enfrentamento ao neoliberalismo, aos golpes e genocídios que diversos países enfrentam na atualidade.

Com mais de 1.500 coletivos, organizações e entidades cadastradas, e em torno de 1.300 atividades autogestionadas inscritas, o Fórum Social Mundial reunirá representantes de entidades de países como Canadá, Marrocos, Finlândia, França, Alemanha, Tunísia, Guiné, Senegal, países sul-americanos e representações nacionais.

Entre as presenças confirmadas estão a dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, do Brasil; Fernando Lugo, do Paraguai; e José Mujica, do Uruguai. Também participarão o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos, a militante indígena e pré-candidata à vice-presidência pelo Psol, Sônia Guajajara; a presidente da Federação Democrática Internacional de Mulheres (FDIM), Lorena Peña; e o filósofo do Congo Godefroid Ka Mana Kangudie, além de outras personagens internacionais.

Fonte: www.redebrasilatual.com.br

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.