Notícias › 02/02/2017

Experiências da ASA são apresentadas em fórum internacional sobre alimentação e agricultura na Alemanha

Leninha Alves esteve na abertura do Global Forum For food and Agriculture, em Berlim, durante a Semana Verde. | Foto: Arquivo pessoal

Leninha Alves esteve na abertura do Global Forum For food and Agriculture, em Berlim, durante a Semana Verde. | Foto: Arquivo pessoal

O Fórum Global para Alimentação e Agricultura (The Global Forum For food and Agriculture), que foi realizado entre os dias 19 e 21 de janeiro, em Berlim, teve a presença de Marilene Alves de Souza (Leninha), da coordenação executiva da ASA pelo estado de Minas Gerais e da coordenação de Articulação Política do CAA/NM. O Fórum é organizado na programação da Semana Verde Internacional (IGW), na Alemanha, e é uma conferência que se concentra em questões sobre o futuro da produção agroalimentar global.

Leninha participou do painel de abertura do evento junto com um representante da Coca-Cola e uma pesquisadora norte-americana sobre água. Ela observa que há uma ideia disseminada na Europa de que o Brasil tem uma grande quantidade de água e terra e que o grande negócio pode se instalar já que o nosso país teria recursos naturais para o mundo inteiro. No entanto, “a água pra gente é um bem comum; os nossos povos e as nossas comunidades trabalham primeiro com água para o consumo humano e depois para produção de alimentos. Já pros grandes negócios, a água, além de ser mercadoria, tem se tornado um componente de conflitos entre eles e as comunidades”. Ainda segundo Leninha, “é atribuído ao grande negócio, às empresas e às indústrias como a Coca-cola, a destruição ambiental, o fim dos recursos naturais (como a água no Brasil) e a responsabilidade pelo total desequilíbrio do ciclo hidrológico no planeta”.

Num outro painel, junto com a Agência Pão para o Mundo, foram debatidos e aprofundados os temas da água e da produção agroecológica, no qual foi apresentada a experiência da ASA para captar e estocar água para a produção de alimentos. “Nesse espaço, mostramos os trabalhos da Articulação. Foi importante para falar sobre o que estamos fazendo, não só o trabalho com captação, mas também com o de sementes. E colocar isso foi importante, pois neste momento em que a Bayer e a Monsanto estão pensando em fusão nós temos que cada vez mais denunciar esses monopólios de sementes associados à produção de venenos e valorizar os guardiões e guardiãs de sementes no Brasil e no mundo. Denunciamos durante o evento, para mais de 18 mil pessoas presentes, que nós não precisamos da Bayer nem da Monsanto para produzir nossa agricultura. Nós estamos trabalhando com práticas de solo, de água, de sementes e de biodiversidade pensando na sustentabilidade do planeta”.

Matéria completa: http://www.asabrasil.org.br/noticias?artigo_id=10076

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.