Notícias › 12/04/2016

Especialista assegura que saneamento básico é a solução para combate à Zika

Para Lia Giraldo, pesquisadora da Fiocruz, a doença deve ser combatida com a ampliação do esgotamento sanitário, tratamento do lixo e abastecimento de água

Doutora reprova providências atuais (Foto: Divulgação)

Doutora reprova providências atuais (Foto: Divulgação)

Os casos de zika não param de crescer pelo país. Somente no estado do Rio de Janeiro, o número de registros da doença aumentou quase seis vezes em uma semana, passando de 4.289 em 22 de março para 24.600 em 1º de abril. Desse total, 17.799 casos foram confirmados e 105 descartados, segundo o boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde.

A melhor estratégia para combate aos criadouros do mosquito, segundo a pesquisadora Lia Giraldo, da Fiocruz, é a ampliação do programa de saneamento básico: esgotamento sanitário, tratamento do lixo, drenagem dos solos e, principalmente, abastecimento de água. Cerca de 90% dos criadouros são reservatórios caseiros de água, utilizados pelas populações mais pobres, que não possuem cisternas nem caixas d’água protegidas. Dessa forma, a água é armazenada em baldes, latas, tonéis e tanques expostos ao mosquito.

“A incidência de dengue, zika e chikungunya é maior nas populações mais pobres pela falta de infraestrutura dos bairros onde moram e também pela vulnerabilidade da saúde, devido ao maior contato com os pesticidas. O saneamento é a saída não só para essas doenças mas para tantas outras. A responsabilidade não é do indivíduo como apontam as campanhas e sim do poder público”, afirma.

Fonte: www.brasildefato.com.br

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.