Destaques › 10/05/2018

Seapac apresenta o programa P1+2 aos participantes da Microrregional do Trairi

Reunião da Microrregional do Trairi (Foto cedida)

Reunião da Microrregional do Trairi (Foto cedida)

O Seapac participou da reunião da Microrregional do Trairi, realizada ontem, 9 de maio, na qual apresentou o Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2), aos presentes. Eram representantes dos municípios de Santa Cruz, Lajes Pintadas, São Bento do Trairi, Coronel Ezequiel, Jaçanã, Sítio Novo e Tangará. O P1+2 é um dos programas públicos de convivência com o Semiárido, mediante a implementação de tecnologias de captação e armazenamento de água de produção. A apresentação do Programa foi feito pelo agrônomo Damião Santos, coordenador da Linha de Convivência com o Semiárido, do Seapac, e executor do P1+2.

Atualmente, os municípios de Lajes Pintadas e Serra Caiada, da Região do Trairi, estão conquistando 201 tecnologias do P1+2. Já foram constituídas as duas comissões municipais que acompanharão e fiscalização os trabalhos, inclusive na visita e seleção das 100 famílias de Lajes pintadas e 101 famílias de Serra Caiada.

As tecnologias são 102 cisternas calçadão, 89 cisternas de enxurrada e 10 barreiros trincheira. Serão executadas pelo Seapac, mediante contrato firmado com o MDS/BNDES, órgãos do Governo Federal que disponibilizarão os recursos. O Seapac foi a organização da sociedade civil sem fins lucrativos selecionada através de Edital de Chamada Pública para a execução dessas tecnologias.

Barreiro trincheira, construído pelo Seapac (Foto: José Bezerra)

Barreiro trincheira, construído pelo Seapac (Foto: José Bezerra)

Depois de selecionadas, as 201 famílias dos dois municípios receberão duas capacitações. Uma em Gerenciamento de Água para a Produção de Alimentos (GAPA) e outra em Sistema Simplificado de Manejo de Água (SSMA). Dentre essas 201 famílias, 35 de Serra Caiada e 35 de Lajes Pintadas serão selecionadas para receberem, além das tecnologias, um fomento (apoio financeiro) e assistência técnica para a produção de alimentos, até o término da vigência do contrato, que é de 23 meses. Estas famílias também receberão capacitação específica para uso do fomento e das técnicas da produção de alimentos.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.