Notícias › 28/11/2017

Desmatamento do Pantanal causa prejuízos de R$ 19 mi ao ano

Há forte relação entre o desmatamento da Amazônia e a conservação do Pantanal.

Por André Garcia Santana

De acordo com coordenador do Programa Cerrado Pantanal, do WWF Brasil, Júlio César Sampaio, é preciso entender que é mais rentável preservar que destruir. (Divulgação)

De acordo com coordenador do Programa Cerrado Pantanal, do WWF Brasil, Júlio César Sampaio, é preciso entender que é mais rentável preservar que destruir. (Divulgação)

Para além dos prejuízos ecológicos o desmatamento do Pantanal já apresenta seu preço em reais: são mais de R$24 mil por hectare perdidos ao ano. Considerando que 18% da planície já foi desmatada – por conta da expansão de commodities, principalmente para produção extensiva de gado – o custo total é de R$19 milhões ao ano. Os dados são da ONG WWF Brasil, que promoveu um evento para comemorar o Dia do Pantanal e lançou, em parceria com o ilustrador Mauricio de Sousa, um gibi inédito estrelado pelo personagem Chico Bento.

De acordo com coordenador do Programa Cerrado Pantanal, do WWF Brasil, Júlio César Sampaio, é preciso entender que é mais rentável preservar que destruir. “O Pantanal fornece aproximadamente R$ 560 bilhões ao ano em serviços ambientais para todo o planeta. Isso seria o que o bioma provê de água, solos produtivos, ar de qualidade, diversidade de peixes, regulação do clima para o globo. O valor econômico do Pantanal não é considerado nas análises de viabilidade de grandes projetos de infra-estrutura”.

Para a doutora em Direitos Humanos e Meio Ambiente, Marli Deon Sette, devem ser criados mecanismos para frear o corte de vegetação nativa. “É necessário deter o desmatamento no Pantanal por meio de mecanismos econômicos que inibam produções não amigáveis ambientalmente, como por exemplo a monocultura da soja – que degrada as terras pantaneiras – a construção de hidrelétricas e o uso de agrotóxicos”.

Ela reforça que o Brasil também precisa criar mecanismos para remunerar os proprietários que preservem as riquezas naturais: “temos que demonstrar que é economicamente mais vantajoso para os proprietários das terras manter a mata do que retirá-la. Um desses mecanismos deveria ser o Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), bem como incentivar o uso inteligente do Pantanal com práticas como a pecuária tradicional, agricultura familiar não mecanizada e o turismo ecológico e rural”.

Fonte: www.domtotal.com

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.