Notícias › 23/09/2016

Comitê pela democracia lança campanha Querem seu voto? Cobre compromisso! no Araripe

Por Comunicação do Chapada

20_09campanhaVivemos o período eleitoral de 2016 e, mesmo com as candidaturas a prefeito(a) e vereador(a) lançadas, persistem as imensas dificuldades de diálogo e sintonia para concretização de propostas. Além disso, nós, organizações e movimentos sociais, por vezes somos cobrados a nos posicionarmos sobre as eleições, pelas famílias, ativistas, militantes e por outras organizações parceiras.

O incômodo diante desse contexto amplia-se diante da ausência de pautas concretas de políticas públicas no debate eleitoral na região do Sertão do Araripe. Temas como o da convivência com o semiárido e a produção agroecológica familiar, da situação das mulheres e jovens tem pouco enfoque na campanha eleitoral. Quando ocorre, o enfoque é generalista e as proposições concretas, na verdade, são promessas assistencialistas de benefício individual. Isso também ocorre com a pauta da democratização da gestão pública, onde ainda predominam os velhos jargões do tipo “pra governar com o povo”, “por um município mais democrático”, que se contradizem com afirmações coronelistas e patrimonialistas, como “as associações que estão comigo estarão com o governo”.

Essa situação instiga-nos a um posicionamento de cobrar, junto às candidaturas, compromissos com pautas concretas de políticas públicas, ao passo que nos motiva a reforçar, junto ao eleitorado, a importância de condicionar seu voto a tais compromissos.

Iniciativa

Trata-se da campanha de comunicação “Querem seu voto? Cobre compromisso!”, de caráter educativo, junto às famílias e suas organizações, para que essas cobrem dos candidatos e das candidatas compromissos com algumas das pautas concretas e essenciais para o fortalecimento da agricultura familiar em nosso território: a gestão pública democrática, a agricultura familiar e os direitos humanos de mulheres e jovens.

A campanha “Querem seu voto? Cobre compromisso!” buscará levar uma mensagem direta e acessível a um público prioritariamente formado por quem já tem aproximação com as temáticas que serão tratadas. Desse modo, busca-se fortalecer a interrelação entre o processo eleitoral e a efetivação de políticas públicas, o que ainda demonstra ser necessário junto ao público principal definido.

Fonte: www.asabrasil.org.br

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.