Artigos › 15/09/2015

ARTIGO: Um Novo Rumo Para O Brasil

José Procópio de Lucena (Foto: José Bezerra)

José Procópio de Lucena (Foto: José Bezerra)

O Brasil tem uma engenharia institucional muito complexa, onde junta Presidencialismo imperial, de cooptação, herdado dos Estados Unidos com Pluripartidarismo cheio de fragmentação partidária e siglas de alugueis.  Temos um parlamento marcado por clientelismo, oportunismo e fisiologismo políticos. Qualquer matéria, pra ser aprovada, precisa ter um agrado. Isso, infelizmente, tornou-se um método de governo de todos os partidos, inclusive do PT. O executivo não consegue aprovar uma agenda política capaz de gerar mudanças e desejos sociais. O Congresso, hoje, é extremamente conservador, retrógrado e direitista. A crise de representação parlamentar aumenta cotidianamente. As vozes das ruas ecoam com a crise do parlamento, ausência de políticas públicas, cortes de direitos, desemprego e a corrupção sem limites nas diferentes instâncias do Estado Brasileiro. Temos novidade na luta social: nenhum movimento segue cartilha. Alguns são anarquistas. Eles não confiam na classe política atual que dirige o Brasil nas 03 esferas de governo e agem sem tutela.

Entendo que temos esgotamento dos ciclos econômicos dos governos lula e Dilma e um esgotamento político do PT. Vivemos uma crise de governabilidade. O PT está mal acompanhando com o PMDB. Um partido de direita, sem direção, aproveitador, construído por oligarquias regionais e chantagistas. O Brasil, hoje, é refém dos especuladores do mercado financeiro. Este ajuste fiscal tem como maior vertente garantir os interesses dos agiotas financeiros e a conta vai pra costa dos trabalhadores.

Depois das opções e traições do PT existe um ressentimento político na população brasileira. Ela entende que fazer política é um negócio sujo pra gente safada, ladrona, pra se dar bem. Entendo ser equivocada esta leitura; porém, é bom lembrar que a política brasileira é patrimonialista, nascida na casa grande pelas famílias poderosas e iluminados. Pra piorar este quadro, tivemos a ditadura militar que endividou o Estado Brasileiro e proibiu a luta por direitos, criminalizando os movimentos e fechando os sindicatos para garantir a acumulação do capital e impedir participação popular nos destino do país. Na ditadura tudo era controlada e os escândalos eram proibidos. Ditadura nunca mais. Neoliberais do PSDB, nem pensar. Modo petista de governar, também não. O Brasil precisa de uma saída pela esquerda, com justiça, ética na política, igualdade, sustentabilidade, democracia e liberdade.

Engº Agrº José Procópio de Lucena
Militante Ecossocialista

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.