Notícias › 13/06/2017

Agricultores de São Miguel se capacitam para o cultivo de palma resistente à Cochonilha do Carmim

Momento da capaciação, com o Agrônomo Fabrício (Foto cedida)

Momento da capacitação (Foto cedida)

O Núcleo do Seapac na Região Oeste do Rio Grande do Norte, através dos agrônomos Carlos Georg e Fabrício Edino, em parceria com a EMATER, realizou uma capacitação rápida para agricultores e agricultoras do município de São Miguel sobre o cultivo da Palma forrageira adensada, hoje, 13 de junho. O trabalho é feito em parceria com a EMATER e visa introduzir no município as variedades Orelha de Elefante e Miúda (também conhecida como Doce), resistentes à praga da Cochonilha do Carmim. “Aqui, nós estamos com um conjunto de parcerias, envolvendo a EMATER, a Prefeitura e principalmente as organizações e Sindicato envolvidos no Fórum das Associações”, relata Fabrício.

A mobilização dos agricultores foi feita pelas Associações Comunitárias. “Nós estamos repassando para as famílias a técnica de cultivo da Palma, desde a estratégia de escolha da área de plantio até a escolha das raquetes para o plantio e o preparo do solo com adubação orgânica, com o sistema simplificado de irrigação por salvação”, esclarece Fabrício. Muitas famílias do município já cultivam a Palma Gigante, que não é resistente à Cochonilha do Carmim.

Famílias atentas às orientações (Foto cedida)

Famílias atentas às orientações (Foto cedida)

A introdução das variedades Orelha de Elefante e a Miúda, com apoio da Emparn, é estratégica, porque elas são resistentes à Cochonilha do Carmim. “Felizmente, essa praga ainda não chegou na região” constata Fabrício. Serão selecionadas 200 famílias no município de São Miguel e cada uma receberá 100 raquetes, sendo 50 da Palma Miúda e 50 da Palma Orelha de Elefante. A orientação é que família faça a sementeira em local próximo da residência para cuidar dela até as próximas chuvas. “Pelos cálculos que fizemos, cada família que receber 100 raquetes agora, ao final de 12 meses terá cerca de mil raquetes de palmas para serem plantadas no ano seguinte”, calculam os agrônomos.

No próximo sábado, 17 de junho, os agricultores e os agrônomos estarão na reunião do fórum, oportunidade em que serão feitas novas discussões com as associações no sentido de monitorar o processo de seleção dessas famílias. Nos dias 19 e 20, haverá nova reunião com o grupo das associações, tendo a presença do representante da Emparn, Doutor Guilherme, que vai apresentar a proposta para a distribuição das mudas das palmas às famílias de São Miguel. A distribuição será nos dias 21, 22 e 23 deste mês.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.