Notícias › 13/04/2018

Agricultor experimentador multiplica sementes crioulas no Trairi

Francisco Apolinário, na Unidade Produtiva (Foto cedida)

Francisco Apolinário, na Unidade Produtiva (Foto cedida)

O agricultor Francisco Apolinário (Tico) e a esposa, dona Zilma, vivem do que produzem na Unidade Familiar que possuem na comunidade Riacho Fechado, em Lajes Pintadas, região Trairi do Rio Grande do Norte. Ele é um Guardião de Sementes da Tradição e tem participado das discussões do Fórum Microrregional do Trairi e do Fórum de Associações de Lajes Pintadas sobre a importância de guardar e preservar as sementes crioulas.

Ele recebeu a visita da agrônoma Marilene Moura, do Núcleo do Seapac no Trairi, nesta semana. “Com a participação nos encontros de sementes da tradição, ele diversificou ainda mais a produção. Está com vários campos de multiplicação de sementes crioulas”, relata Marilene. Seu Tico plantou 4 tipos de sementes de milho, duas delas da troca de sementes durante os encontros. Ele também plantou 5 tipos de feijão. Duas das variedades de sementes ele já grudava (as variedades sempre verde e azul). As outras três foram adquiridas na troca de sementes, durante os encontros.

Multiplicação de sementes

Seu Tico e dona Zilma plantam uma área de multiplicação de vários tipos de fava e algumas delas também da troca de sementes. “Tico é um agricultor experimentador. Uma vez dei umas 5 sementes de milho branco, as quais ganhei de outro agricultor, guardião de semente, de Coronel Ezequiel – o Senhor Antônio Ventola – e seu Tico produziu, mesmo no período de seca, um litro de sementes. Hoje ele tem bem mais”, comenta Marilene, depois de uma visita que fez ao casal.

Por não ter Sementes de Tradição suficientes para plantar em toda a área que cultiva, seu Tico ainda semeou outra área com sementes comuns. “Mas se eu tivesse, teria plantado somente sementes crioulas. Esse ano espero fazer semente suficiente para o ano que vem”, disse Tico. Na conversa com Marilene, ele comentou que a diferença é muito grande. “O desenvolvimento das plantas, das sementes crioulas, é bem superior ao das sementes compradas. Plantei a semente comprada na melhor terra e as sementes crioulas nas terras mais fracas e percebo que as crioulas crescem bem mais rápidas”, comentou seu Tico.

Quase todas as sementes ele conseguiu nos encontros de sementes. “Ele foi multiplicando e hoje teve para plantar uma boa área da Unidade Familiar”, explicou Marilene. Como agricultor experimentador, seu Tico também planta Moringa e Leucena e também faz experimentos de plantios consorciados. Ele quer fazer um experimento com batatas e pediu orientação à agrônoma do Seapac.

MAIS FOTOS DO PLANTIO:

UPF de Fco. Apolinário (Tico) guardião e experimentador (Fotos cedidas) (1) UPF de Fco. Apolinário (Tico) guardião e experimentador (Fotos cedidas) (4) UPF de Fco. Apolinário (Tico) guardião e experimentador (Fotos cedidas) (6) UPF de Fco. Apolinário (Tico) guardião e experimentador (Fotos cedidas) (7) UPF de Fco. Apolinário (Tico) guardião e experimentador (Fotos cedidas) (8) UPF de Fco. Apolinário (Tico) guardião e experimentador (Fotos cedidas) (12)

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.